segunda-feira, 28 de março de 2016

Dermatologista responde alguns mitos e verdades sobre as estrias




O problema das temidas estrias é mais comum do que se imagina. Cerca de 15 a 20% da população tem estrias, ou seja, você não está sozinha. As estrias são uma ruptura das fibras de colágeno e elastina que dão elasticidade na pele e podem manifestar-se de formas variadas: lineares, curvas, únicas, múltiplas.

Com relação à coloração, elas podem ser rosadas, que são as mais novas. “Há uma ruptura das fibras elásticas, o sangue extravasa, inundando as fibras e deixando-as com aspecto arroxeado ou rosado”.

“Geralmente são finas e de aspecto plano. Pouco a pouco começa a ocorrer uma substituição por um tecido fibroso, com aspecto de cicatriz. E é nesse ponto que a estria fica mais alargada e pode ficar mais profunda, são as estrias brancas”, afirma Dr. Jardis Volpe.

Mitos e verdades 

Verdade – O uso de lingerie que dê sustentação pode levar ao aparecimento de muitas estrias no abdômen e coxas .
Mito – Pessoas magras não têm estrias. A briga contra a balança mesmo em pessoas magras que variem 2 ou 3 kg é suficiente para o aparecimento de estrias.

Verdade – Ela aparece mais em mulheres, em 80% dos casos.
Verdade – Eles podem aparecer por causa da musculação e esportes onde o alongamento é vigoroso podendo aparecer nos ombros, atrás dos joelhos e coxas.

Verdade – Ganho excessivo de peso (mais de 10Kg) durante toda a gravidez e ganho-perda de peso: má alimentação: excesso de açúcar, gordura saturada e excesso de sal podem contribuir para o aparecimento de estrias, dentre outros motivos.
Mito – Consumo de refrigerante. Há um mito de que refrigerante caus estrias. Na verdade, não há uma relação direta. O que ocorre é que ao propiciar o ganho de peso pela maior retenção de liquidos, a pele pode esticar e isso, causar estrias.

Mito – Roupas apertadas não rompem as fibras elásticas da pele e, portanto, não têm relação com as estrias.
Verdade – Pele desidratada. A pele desidratada forma estrias com mais facilidade pois tem a a elasticidade diminuída. Isso favorece o rompimento das fibras e a formação das cicatrizes. Além disso, a pele desidratada realça as estrias ao enrugar a pele deixando as marcas mais evidentes.

Prevenção
Dr. Jardis explica que o uso de cremes específicos pode prevenir o aparecimento de novas estrias e tornar menos visíveis as já existentes. O uso de hidrantes pode ajudar, mas deve ser usado sempre e após o banho. “Uma alimentação baseada em frutas, verduras, legumes e líquidos são um combustível para fibras elásticas saudáveis”, acrescenta.

Tratamento
Segundo a dermatologista Dra. Luciana Cattini, a radiofrequência fracionada com método Sublative, do E-Matrix, tem resultado nas estrias brancas (as mais difíceis de serem tratadas) na primeira sessão.

“Através de microfuro, a radiofrequência penetra na pele, mas ao atingir a camada mais profunda se abre e distribui calor em uma área muito maior.” De acordo com a dermatologista, os resultados para estrias são visíveis a partir da primeira sessão: “A parte mais superficial da pele regenera em até sete dias e o colágeno ao redor da área tratada é reposto em até três meses”, explica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário