sexta-feira, 24 de junho de 2016

EM PEDRO AVELINO, O FEITIÇO VIRA CONTRA O FEITICEIRO


Nunca em sua história a cidade de Pedro Avelino viu um ditado popular, fruto da sabedoria dos mais velhos, acontecer tão de perto. 

Em 2011 José Adécio assume a Presidência do Ceasa e por amar sua cidade e sua gente, por ter conhecimento da carência de emprego, na cidade, causado por sucessivos desgovernos que obrigavam seu povo a peregrinar por empregos em Natal, sugeria a governadora Rosalba Ciarlini que um percentual mínimo do total de Cargos Comissionados (Cargos de Confiança), daquele órgão. Fossem, dentro do possível e da legalidade, sem privilégio, observando a capacitação técnica de cada um e os critérios necessários para o preenchimento dos cargos, preenchidos por pessoas de Pedro Avelino. Independente de sua ligação política ou filiação partidária, que acatou e nomeou alguns dos nomes indicados, fato que é do conhecimento de todos.

Meses antes de iniciada a campanha para Prefeito Municipal de 2012, o Senhor José Alexandre Sobrinho, querendo a todo custo eleger seu candidato a Prefeito e padrinho político Sergio Cadó, denuncia, José Adécio acusando-o de usar a estrutura do CEASA RN em troca de votos, sem, contudo trazer nenhuma prova do uso eleitoral daquela empresa, até por não ter ocorrido, alegando os fatos legais acima narrados. Sem a mínima preocupação de arriscar o emprego dos conterrâneos, seu único interesse era o de conseguir a cassação da candidatura de Neide Suely de Joaldo Bezerra candidato a vice e dos direitos políticos de José Adécio. Processo esse, que perdeu no TRE por unanimidade e recorrendo ao TSE - Brasília também perderam com todos os votos a favor de Neide Suely e do agora novamente Deputado José Adécio.

Por outro lado, como tem sido comum na história política do PMDB em Pedro Avelino, durante a eleição de 2012 o Sr. Alexandre Sobrinho usou e abusou de todos os expedientes, ilegais e imorais, em favor do seu apadrinhado político Sergio Cadó, e, junto e orientando este, cometeram erros gravíssimos, um deles o de fazer uma pesquisa fraudulenta (reconhecido pela Justiça Eleitoral), feita pela empresa pirâmide para enganar o povo de Pedro Avelino e favorecer seu candidato e divulgá-la mesmo após determinações judiciais expressas no sentido da proibição do seu uso. Em defesa unicamente da ética e da lisura nos processos eleitorais, a assessoria jurídica dos partidos ligados a Neide Suely denunciaram ao Ministério Público tais arbitrariedades, como é comum nos processos eleitorais, o que gerou o processo no qual eles perderam no TRE e mesmo pagando um dos melhores advogados de Brasília, e, mesmo o advogado que representava as candidaturas de Neide e Joaldo, Dr. Fabio Luiz Monte de Hollanda, não comparecendo a sessão do TSE atendendo pedido do Deputado José Adécio e por entender caber ao Ministério Público o acompanhamento do tema, ainda assim o Prefeito Sergio Cadó, padrinho do advogado mais uma vez derrotado Alexandre Sobrinho, foi cassado por unanimidade, e foi ai que “O FEITIÇO VIROU CONTRA O FEITICEIRO”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário